CAMPANHA CURSOS SENAC MARECHAL
Sonoriza Som
CAMPANHA EXPO RONDON 2024
Anuncie Aqui
Senado Federal

Paim celebra Dia da Consciência Negra

O senador Paulo Paim (PT-RS) destacou em pronunciamento nesta segunda-feira (20) o Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, ...

20/11/2023 17h03
Por: Marcos Umeres
Fonte: Agência Senado
 - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
- Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Paulo Paim (PT-RS) destacou em pronunciamento nesta segunda-feira (20) o Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, dia da morte de Zumbi dos Palmares. Para o parlamentar, a data representa uma oportunidade de reflexão e simboliza um processo de iniciação que conecta a população ao seu passado, presente e futuro:

— Ao saudarmos nossas origens, nossa história, nossa negritude, recordamos que mãos negras e calejadas contribuíram enormemente para a construção do país, como outras etnias também assim o fizeram. Superamos grilhões, resistimos ao aço, resistimos ao aço temperado e ao couro sovado do chicote que deixava marcas de sangue na nossa pele, mas a dor persiste, seja na alma ou nos desafios enfrentados no dia a dia. Tentaram colocar nossa alma no lamaçal da crueldade e da infâmia por sentimentos desumanos. Ninguém que possa falar em políticas humanitárias pode manter alguém sob o regime de escravidão.

Paim citou estudo da Rede de Observatórios que revela que, em 2022, uma pessoa negra foi morta por policiais a cada quatro horas. Dos 3.171 casos analisados, 2.770 das vítimas eram negras, representando 87,35% do total. O senador classificou os dados como alarmantes e ressaltou ser inaceitável que esse tipo de cenário ainda exista no Brasil:

— O racismo é um problema estrutural. Ele está em toda a sociedade brasileira, manifestando-se mais ou menos no cotidiano, no olhar que discrimina, nas palavras que açoitam, na violência das abordagens policiais, na fome, na miséria e na pobreza. O Brasil carrega uma dívida histórica com o povo negro, os pretos, os pardos, os quilombolas e também os indígenas. Ontem eram pessoas escravizadas, aprisionadas, hoje enfrentam humilhações e uma falta de cidadania e igualdade de direitos.

O parlamentar destacou que o Senado aprovou o PL 5.231/2020 , que visa a reeducação de agentes públicos e profissionais de segurança, combatendo abordagens motivadas por preconceito, discriminação e racismo. O texto aguarda votação na Câmara dos Deputados.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários