Terça-Feira, 18 de Janeiro de 2022 Fale Conosco Redação: (45) 9.9934-0761
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Merkel escolhe música de ícone punk para sua despedida

Mundo | 01/12/2021 | 18:24 |
1 de 1 A premiê da Alemanha, Angela Merkel, recebe buquê de flores de seu futuro substituto, o vice-chanceler e ministro das Finanças, Olaf Scholz, em Berlim, em foto de 24 de novembro — Foto: AP Photo/Markus Schreiber, Pool

Angela Merkel está finalmente se despedindo do cargo de chanceler federal da Alemanha, após 16 anos na posição mais importante do país. Embora ela siga no cargo interinamente até que o próximo chanceler seja confirmado, o que deve ocorrer em breve, será realizada na noite desta quinta-feira (22) uma cerimônia em sua homenagem.

A chamada Großer Zapfenstreich é a cerimônia militar mais importante da Alemanha, e inclui uma procissão de soldados carregando tochas, tocando músicas e marchando.

Como ocorreu com seus antecessores, foi pedido a Merkel que ela escolhesse três canções para a banda militar tocar.

Angela Merkel: conheça o legado e a trajetória da mulher que liderou a Alemanha por 16 anos e deixa o poder em breve

Duas não devem provocar surpresa. Uma é o hino cristão do século 18 Großer Gott, wir loben dich ("Santo Deus, Louvamos o Teu Nome"), provavelmente um aceno às raízes cristãs de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), e à sua origem familiar – seu pai era pastor protestante.

A outra é uma canção popular da cantora alemã Hildegard Knef, Für mich, soll's rote Rosen regnen ("Devem chover rosas vermelhas para mim"), que tem uma melodia melancólica sobre sonhos e ambições adolescentes e uma letra com versos como "Eu quero tudo ou nada".

Hino da lenda punk Nina Hagen

No entanto, uma canção escolhida pela chanceler surpreendeu muitos: o sucesso da Alemanha Oriental de 1974 cantado pela roqueira punk Nina Hagen, Du hast den Farbfilm vergessen ("Você esqueceu o filme colorido").

Estrela pop iconoclasta da então República Democrática Alemã, Nina Hagen tornou-se um ícone punk da Alemanha Ocidental após a queda do Muro de Berlim.

É uma escolha musical ímpar, pois Merkel raramente refere-se à sua criação na Alemanha Oriental, na cidade de Templin, região de Brandemburgo. Na sua juventude, ela ouviu a canção na qual Hagen reclama com seu namorado por ele ter trazido apenas um filme preto e branco para as suas férias.

Foi um sucesso tão grande na época que muitos que viviam na antiga Alemanha Oriental ainda se lembram da letra, especialmente da famosa frase: "Ninguém irá acreditar em como aqui era lindo".

Embora não tenha sido censurada pelo governo, a canção foi amplamente interpretada como uma crítica à comunista República Democrática Alemã, onde o filme colorido era uma mercadoria rara.

A escolha pode indicar Merkel revelando a sua Ostalgie, a nostalgia da Alemanha Oriental. Ou talvez a chanceler esteja mostrando o seu lado bem-humorado.

Há cerca de 30 anos, Merkel, então ministra da Mulher e Juventude, conheceu Nina Hagen em um programa de TV. Durante uma discussão sobre o vício em drogas, Hagen a atacou diante das câmeras: "Estou farta de suas mentiras, de sua hipocrisia", disse a cantora. Merkel provavelmente a perdoou.

| Fotos: AP Photo/Markus Schreiber, Pool |
PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Tadeu Materiais de Construção
Colégio Luterano Rui Barbosa