Sábado, 31 de Outubro de 2020 Fale Conosco Redação: (45) 9.9934-0761
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vacina contra a Covid-19 que UFPR desenvolve é testada em camundongos, e resultados mostram eficácia em duas doses

Marechal | 24/09/2020 | 13:34 |

A vacina contra a Covid-19 que a Universidade Federal do Paraná (UFPR) está desenvolvendo foi testada em camundongos e, segundo a instituição, apontou eficácia em duas doses.

Esses resultados são da 1º imunização feitas nos animais de laboratórios – na chamada fase pré-clínica. De acordo com a UFPR, os camundongos foram divididos em três grupos. Um deles é o grupo controle.

Os três grupos

Cada grupo recebeu um tipo diferente de imunização. A 2ª dose dessas vacinas foi aplicada 20 depois da 1ª.

Ao fazer a coleta de soro após a 1ª imunização, a UFPR percebeu que uma dose não foi suficiente para produzir anticorpos em quantidade significativamente diferente em relação ao grupo controle.

Porém, segundo a UFPR, foi obtida uma produção significativa de anticorpos comparada ao grupo controle a partir da 2ª imunização.

HC de Curitiba deve aplicar doses do teste da vacina contra a Covid-19 em 1,4 mil voluntários até 30 de setembroVacina russa: Governo do Paraná prevê pedir liberação à Anvisa para iniciar testes em voluntários

Os pesquisadores da UFPR envolvidos no estudo explicaram que esses resultados mostraram ser possível que as partículas de polímero bacteriano polihidroxibutirato (PHB), carregadas com antígenos, sejam utilizadas como veículo para imunização contra infecções virais como a Covid-19.

Foram os camundongos do grupo controle que receberam o PHB. Contudo, a instituição ressaltou que ainda se trata de um 1º ensaio pré-clínico.

"Nós sabemos já como produzir essas partículas e que elas capazes de gerar resposta imune. O primeiro passo foi dado, é um passo modesto frente ao objetivo, mas é um passo positivo e isso foi muito importante para nós", explicou o pesquisador Marcelo Müller dos Santos.

Próximos testes

Nos próximos testes, conforme a UFPR, outros fatores serão analisados – como a reprodutibilidade desses resultados.

Também vai ser verificado na próxima etapa, de acordo com a UFPR, se a via de imunização intranasal será eficiente.

Se os resultados forem positivos, os pesquisadores ainda vão buscar outras respostas.

É preciso saber se os soros dos animais imunizados neutralizam a infecção do novo coronavírus em cultura de células. Esse é um passo fundamental para provar a eficácia do imunizante.

Coronavírus no Paraná

Um novo boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgado nesta quarta-feira (23), aponta que o Paraná atingiu o total de 167.144 casos confirmados do novo coronavírus.

O número de mortes pela Covid-19 no estado chegou a 4.201, de acordo com a secretaria.

Desde o início da pandemia, 121.258 pessoas se recuperaram da doença no estado, o que representa uma taxa de recuperação de 72,5%, conforme o relatório.

| Fotos: Divulgação/Marcos Solivan/Sucom/UFPR |
PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Tradição e qualidade nos mínimos detalhes! Agende seu horário!
Divulgação, Locação de Som e Luzes
Point Drink's, o Point especializado em Drink's
Arena Society
Contrate Sonoriza Som