Sonoriza Som
Anuncie Aqui
Educação

Com drones e coleira tech de vacas, alunos da rede estadual levaram projetos ao Show Rural

Os trabalhos, exibidos em formato de painéis, foram realizados pelos próprios alunos dos colégios agrícolas da rede estadual. Seis estudantes fora...

09/02/2024 14h19
Por: Marcos Umeres
Fonte: Secom Paraná
57
Foto: Anderson Batista/Seed-Pr
Foto: Anderson Batista/Seed-Pr

No espaço destinado à Secretaria de Estado da Educação (Seed/PR) no estande do Sindicato Rural de Cascavel, no Show Rural Coopavel, seis estudantes de 16 anos, em média, de colégios agrícolas de regiões distintas do Paraná, apresentaram projetos desenvolvidos ao longo do curso. Eles foram escolhidos entre milhares de alunos para demonstrar como absorveram o conteúdo voltado para a inovação tecnológica e a sustentabilidade.

Os trabalhos, exibidos em formato de painéis, foram realizados pelos próprios alunos com soluções para a agricultura de precisão como drones de pulverização, monitoramento de gado de leite com microchips e recomposição de matas nativas.

Destaques na Prova Paraná Agro e em sala de aula, Stefany Volgai e Renan Zonatto, do Centro Estadual de Educação Profissional Assis Brasil, de Clevelândia (no Sudoeste), explicaram ao público todos os detalhes e funcionalidades dos drones de pulverização (um deles em exposição no espaço), capazes de fotografar, mapear e depositar defensivos agrícolas ou fungicidas em áreas pré-determinadas.

“Uma das vantagens do drone de pulverização está no tempo propício para aplicação de um produto. Quando o solo está muito encharcado, dizemos que ele está acima da capacidade. Não é possível entrar na lavoura e fazer uma operação agrícola. Esse é o momento para fazer a aplicação do produto e o drone nos direciona com essas informações, inclusive da área específica”, explica Stefany. “Como conhecemos bem as funções do equipamento e entendemos as partes teóricas e práticas, explicamos tudo a quem tem curiosidade com a tecnologia”, arremata Renan.

TECNOLOGIA A FAVOR DA PRODUTIVIDADE– Com a coleira de monitoramento de vacas, utilizada no Centro Estadual de Educação Profissional Olegário Macedo de Castro, região dos Campos Gerais, Igor Henrique Rodrigues Bonfim e Odair Rodrigo Trautenmuller, demonstram aos visitantes do espaço da Seed que o equipamento auxilia o produtor rural em seu dia a dia.

“O equipamento traz informações sobre o rebanho bovino, especialmente as vacas. Mostra quatro itens: ofegação, ruminação, ócio e atividade do animal. Se a vaca entra em cio, o colar indica para o aplicativo (parte do equipamento) o melhor horário e jeito para inseminá-la e até qual o melhor sêmen”, diz Bonfim.

Foi o fabricante que forneceu o equipamento ao colégio a um preço mais em conta e são os estudantes, que também atuam na fazenda-escola da Unidade Didática Produtiva (UDP), que monitoram as 54 vacas da propriedade.

“É a primeira vez na história que a gente vem para a feira. Tem sido muito gratificante ver os nossos alunos mais tímidos no primeiro dia e agora no final já se soltando, apresentando o projeto em detalhes”, observa Hélio Rentz, diretor da UDP do colégio.

MATA ADENTRO – Hoje no 3º ano do curso de técnico agrícola no Centro Estadual de Educação Profissional Agrícola Getúlio Vargas, em Palmeira, também nos Campos Gerais, Carolini Ribas Toneti e Franciele Kuczer tocam um projeto de restauração florestal em uma plantação de eucalipto e de algumas árvores nativas dentro da fazenda-escola. “Fizemos o corte dessas árvores de eucalipto e plantamos novas mudas de árvores nativas do bioma da Mata Atlântica. Elas estão se desenvolvendo bem e observamos que há um índice satisfatório da biodiversidade”, explica Carolini.

Franciele Kuczer destaca a parceria da escola com uma empresa, que tem a intenção de aumentar a biodiversidade dentro do colégio, entre outros objetivos. “A finalidade do trabalho é ainda proteger as árvores dos inimigos naturais, como pragas e insetos, e reduzir o uso de defensivos agrícolas. Uma nova oportunidade para contribuir com a preservação ambiental”, enfatiza.

PARTICIPAÇÃO NA FEIRA– Quando não estão repetindo aos visitantes o significado e a importância dos projetos, os jovens estudantes circulam pela feira, assistem a palestras, se familiarizam com as novidades e já fazem planos. “Quero voltar sempre, porque vou levar para a vida essa experiência”, afirma Odair, que quer ser veterinário. Henrique quer seguir carreira como zootecnista. “Estar aqui é uma experiência única que jamais poderia imaginar e que não vou esquecer”.

“Para a gente, que tem 16 anos e vem de um município pequeno, é a realização de um sonho poder participar desse momento”, arrisca Carolini, futura engenheira agrônoma.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Marechal Cândido Rondon, PR
Atualizado às 15h13
31°
Tempo nublado Máxima: 32° - Mínima: 21°
33°

Sensação

2.56 km/h

Vento

50%

Umidade

Anuncie Aqui
Redes Sociais
Sonoriza Som
Anuncie Aqui
Blogs e colunas
Anuncie Aqui
Sonoriza Som
Últimas notícias
Anuncie Aqui
Sonoriza Som
Mais lidas
Sonoriza Som
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Sonoriza Som